segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Oh, man...

i dont work here anymore too
i work for my bro X, at http://economistax.blogspot.com.br/
jesus, man, everyone left this Blog here, but on the other hand they all went to the same new address
how does one account for this bizarre empirical evidence?

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Recebi também uma proposta irrecusável para trabalhar no ...

... www.economistax.blogspot.

Meu chefe passa a ser o X.

Eu e os demais fags precisamos organizar o leilão de privatização do AC3L.

Tchau

a partir deste segundo estarei postando no www.economistax.blogspot.com e não mais aqui

Ato final

Hamlet:

Que os céus te absolvam. Eu sigo
O teu caminho.
FK, eu sinto a morte --
Adeus, pobre rainha! A vós, tão pálidos
E trêmulos diante dessa desgraça,
Só testemunhas mudas desse ato,
Tivesse eu tempo -- mas o duro braço
Da morte é tão severo -- eu contaria...
Mas seja tudo como for.
FK, eu já estou morto e tu estás vivo; conta
Toda a verdade sobre a minha causa
Aos que a ignoram.

Winner Winner Chicken Dinner

O Mantega ganhou essa (hat tip Luiz Beatrice)

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Criação do Prêmio D.U.D.U

Crio o prêmio Destaque Unbelievable de Desagregação Unilateral, daqui para frente, Prêmio D.U.D.U.

A primeira edição vai para o Carlos Eduardo Saboia.

Parabéns.

Boa notícia aos leitores: recontratamos CESG.

O X ainda está em negociação.

CESG e X

Eu e um pedaço do economista X não postaremos mais.

Nossa saída é motivada por razões pessoais, estamos indo atrás de novos desafios.

Obrigado

The Shitty Conscience

Brother X sold his soul. Tells me I can’t say bad words - puta que o pariu. FK with boring optimal control. CESG writing useless books. CT still a sleeping beauty fag. MR: you are my only hope.

Yellen’s Optimal Control 2/3 (meio wonkish)

O que ela chama de optimal control é maximização de welfare. Welfare é definido intertemporalmente, como função das variâncias de inflação e produto e etc, como nos papers do Giannoni e Woodford. Nada de especial aqui, que justifique o nome diferente (em algum post anterior eu questionei o porquê do nome, mas estou com preguiça de colar o link).
Nos discursos dela, a política monetária ótima é obtida com o uso do “modelo do fed” (o tal de FRB/US). Assume-se que o Fed tem commitment – o setor privado acredita no caminho futuro dos juros.

O que realmente há de "novo" nos exercícios é a Zero Lower Bound, que implica em juros igual a zero por período anormalmente prolongado, e um problema de time-inconsistency (volto a isso).

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Jeitinho acadêmico brasileiro

A qualidade de um periódico acadêmico é medida por seu fator de impacto, que depende das citações a artigos publicados naquele journal. Algumas revistas brasileiras estavam inflando suas estatísticas, citando umas às outras. Por exemplo, o journal A cita o B, e o B cita o A.

Bom, os caras que medem fatores de impacto perceberam. Agora a casa caiu. Veja na matéria publicada ontem no site da Nature.

Optimal Control 3/3

Sujeito do Fed me mandou código com um pedaço do "FRB/US model" que permite refazer os exercícios da Yellen. A intuição central é que devido ao Zero Lower Bound da taxa de juros, a política monetária ótima é manter os juros zerados por tempo mais prolongado. Eu volto a isso no post 2/3.
Na figura, as forward rates precificadas pelo mercado (strips) e aquelas sugeridas por Optimal Control. A implicação é de mercado é apostar no “low for longer”. Devido à simetria, tem que ser macho.
O CT, que tem medo do Chico, obviamente não é – mas isso é outra história. Por sinal, deixe-me fazer uma crítica ao pessoal da Unicamp, em particular a Bata no liquidificador primeiro a cenoura com os ovos e o óleo, acrescente o açúcar e bata por uns 5 minutos. Depois numa tigela ou na batedeira, coloque o restante dos ingredientes misturando tudo, menos o fermento. Esse é misturado lentamente com uma colher. Asse em forno pré-aquecido (180ºC) por 40 minutos Para a Cobertura: Misture todos os ingredientes, leve ao fogo, faça uma calda e coloque por cima do bolo. Se o seu liquidificador for bem potente, o bolo todo pode ser feito nele.
Uma pergunta óbvia é se essa lógica de optimal control vai para o saco, quando o Summers for confirmado. A resposta é: definitivamente não.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

2015

In that fateful year, Brazil will come to a crossroads: it will either make some bold choices aiming at long-run prosperity and thus revive non-inflationary growth, or it will go down Argentina's path with its attendant consequences. There will be no middle ground, no more muddling-thr. With the reconfiguration of the international scenario there is no more scope for complacency.

Now, if Dilma is reelected and the Economy continues to struggle, which is not a unlikely combination, she will double the bet and we are doomed for disaster. Let's then pray for Aecio, Marina or Lula to win. It is our only hope now.

X, the founder

Ricardo Caballero

The great economist Cesg has been talking about:




domingo, 25 de agosto de 2013

Otaviano canuto

Entrevista lúcida, mais que isso ate, muito boa. Melhor que a do Gustavo acima da dele, com pontos mais relevantes. Esses anos fora do Brasil tornaram o Canuto um economista de melhor qualidade. E bom ver isso.

Concluo que se a gente mandar essa lavra de heterodoxos pra fora do Brasil as coisas melhoram por dois motivos!

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Joao, eu li o paper do René Schultz no NBER que voce falou pra eu ler

Ok, se firmas são credit-constrained e portanto liquidez tem um valor social, sei la surge um projeto e o cara precisa ter claims líquidos para aproveitar, então o sistema bancário tem que gerar esses ativos das firmas via passivo seu, emitindo um CDB, por exemplo. Então não vale MM, é preciso ter debt na estrutura dos bancos, eh preciso essa alavancagem sim, claro. Acho tudo isso mais do que ok e concordo que Adamati et alli exageram o ponto no Bankers' New Clothes. Alem disso, esse modelinho explica porque firmas do setor real emitem muito mais equity que os bancos mesmo sem MH, tax distortions e incentivos ruins na estrutura de bônus dos traders...

Mas, mas, mas..... isso não invalida que tem MH, que tem incentivos cagados, que tem tax distortions...ou seja que tem mais debt do que deveria.

Abraços

shadow labor supply

O Mestre-do-Rio estuda aqueles que não estão na labor force mas que gostariam de trabalhar, uma etapa que poderia ajudar na determinação da participation rate. O chato é que os modelos dependem do CFNAI, e eles escolhem o CFNAI para que o desemprego fique consistente com a previsão do FOMC (desemprego em 6.5% no 2015Q1). De toda forma, dá para ver que é consistente com participation rate flat e payroll em torno de 150 (figuras abaixo).
Por sinal, adorei como o Ricardo Reis justifica que o capital não fluiu para o setor de construção português (que é non-tradeable e com colateral óbvio) da mesma forma como aconteceu na Espanha.
CT: tenho certeza que vai apreciar a clareza desse post - eu pensei em vc e me esforcei bastante

R.Walk

Quem acha que o cambio é um passeio aleatório levanta a mão!

Titio, o que você acha?

Eu apertei um "butão" no Eviews num tal de um teste de Unit Root e deu que é sim...

Tá certo, tio?

Petrobras

As ações da Petrobras subiram 5% ontem, refletindo expectativa de aumento dos preços de combustíveis. Aparentemente espera-se um aumento que mais que compense o movimento do câmbio (provavelmente corrigindo também perdas passadas associadas ao preço baixo). Caso contrário, a lucratividade esperada em reais ficaria parada, não afetando o preço das ações.

Isso parece consistente com modelos de custo de menu, quando uma firma toma um choque que joga seu preço real abaixo do threshold. A firma então paga o custo de menu, realinhando seu preço real. O interessante é que um choque negativo está associado a valorização das ações.

Esse custo de menu me parece particularmente elevado para preços administrados, principalmente com um governo que os utiliza de forma populista. O último a tentar um ajuste desse tipo foi o governo de São Paulo, com as tarifas de ônibus. O resultado já conhecemos.

Então, teremos manifestações de motoristas quando o ajuste de fato acontecer?

sexta a tarde

depois de 60 perguntas convergi p o Pete Klenow

Drunkard´s walk

um pedaço

"many studies point to a close connection between the parts of our brain that make assessments of chance situations and those that handle the human characteristic that is often considered our prime source of irrationality -- our emotions."

por motivos evolucionários na hora de pensar em risco, estatística, etc, a gente precisa fazer um puta esforço de desligar a intuição natural e errada que vem wired no cérebro. foda.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Dolar não passa de 2,53...

...com 99% de chance

vendo a 2,52

O Dólar não passa de 2,80 ...

... com 95% de chance.

Não passa de 2,65 com 80% de chance.

Vendo a 2,58.

The End !!!

Are u guys fucking asleep?

Toledo running death regressions;
FK talking about shocks to the alpha parameter in a cobb-douglas
CESG showing off at a radio station !
Mauro super hiper trade man talking about funny education techniques

and meanwhile this Belluzzer guy is out there, at lose, defending centralization of the FX and say NOTHING??

wake up and do something; have this unabomber arrested !!

oh man, i am tired, i will never leave MA to go back to this selva brasilis

Indústria-->Serviços (5/3)

A figura vem do relatório do Alex. Ele obtém o mesmo resultado, que mudança setorial não explica a força relativa do mercado de trabalho. Para isso utiliza os crescimentos setoriais, hipóteses de suas produtividades, e mostra que não dá para ir muito longe em termos de emprego. (CT: sei que não expliquei bem, compre o relatório dele para ver detalhes)

Indústria-->Serviços (0/3)

O Celso acordou e reclamou que meus posts estão incompreensíveis. Só posso ficar contente com isso. Quem sabe ele continua acordado por mais algumas horas.
Eu também estou confuso, e vou continuar postando meu mumble jumble na esperança de entender o assunto. A motivação é que há uma mudança setorial relevante (indústriaàserviços) que deve ser levada em conta para entender o que ocorre na economia brasileira. A figura abaixo, supostamente mostrando que indústria estagnou após a crise, é o ponto de partida.
Eu gosto do assunto porque nunca dei bola para esse negócio de olhar o PIB setorialmente. Houve época em que tentava separar tradeables de non-tradeables para poder olhar o câmbio. Mas descobri como escapar desse expediente. Será que preciso separar indústria de serviços?

Por enquanto, baseado em caged e em experimento teórico, a resposta é não.

Entrevista do CESG

http://cbn.globoradio.globo.com/programas/cbn-brasil/2013/08/20/PERDA-DE-CREDIBILIDADE-DO-GOVERNO-AJUDA-A-EXPLICAR-ALTA-DO-DOLAR.htm

Juro nos EUA

O FED disse que talvez nao comece agora o ajuste, em setembro, e ai o juro dispara. Eu nao to entendendo nada, mas talvez meu titio saiba explicar. Eh a tal da incerteza? Mas tudo o mais constante a política monetária nao ficou " mais frouxa "?  O efeito inçerteza ganha? Tio, nos seus modelos incerteza entra? Eh tudo linear, tio, e cheio de choques picaretas como no SW 2003/2007?

Abraços

Kanczukinho

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Paper do Ricardo Reis, agora que fiz as contas..

O cerne do argumento eh misallocation do capital novo que veio com a União Monetária, como disse no outro post.

Na modelagem, a coisa vai assim: o parâmetro de profundidade do mercado financeiro doméstico não se altera após a abertura, e ele diz que para pegar certa qtd de empréstimos precisa de um certo percentual de riqueza própria como colateral. Antes da abertura, as firmas tradables estão no limite de seu endividamento, mas muitas firmas nontradables pouco eficientes não tomam crédito porque o banco prefere canalizar a grana disponível para os tradables. Pois bem, quando o capital entra em enxurrada, os bancos não dão crédito pras eficientes pq essas estão com sua constraint binding...mas como ficou mais barato o funding dos bancos, passa a ser rentável agora dar credito pros menos eficientes, que assim expandem. Ai, claro, cai a PTF global.

Matando a pau

Decidi dar uma olhada em bons blogs agora no finalzinho da tarde, para matar um pouco de tempo, depois de dia difícil, sofrido. Fiquei triste porque o ACTL não foi a minha primeira escolha.

Dei uma folhadinha no blog do Dave Gilles para ver se tinha algo que prestasse. Ele mandou para esse tal de World Data Atlas, um site bem legal com vários dados para vários países. Tem outros, mas é sempre divertido achar um novo.

Dei uma olhada nos dados e acabei brincando com algumas estatísticas de renda per capita e taxa de assassinatos.

São 150 países. Para cada um, calculei a média das variáveis entre 2000 e 2012. Dividi os 150 países em 10 grupos de 15. Para cada grupo, calculei a média da renda per capita e a média da taxa de assassinatos.

Acabei montado um gráfico super fofo que decidi dividir com os leitores do ACTL:

A regrinha que sai do gráfico é a seguinte:

Taxa de Assassinatos = 43.5 - 3,8 x ln(Renda)

Na métrica que estou usando, a renda do Brasil é de USD 9400.

Para este nível de renda, deveríamos apagar não mais do que 9 almas para cada 100 mil habitantes. Como o Brasil não se contenta com a mediocridade, matamos 22 infelizes, bem mais do que duas vezes o que seria "aceitável".

Estamos tranquilamente no quintil superior, cujo limiar de matança é 17,1 por 100 mil. Na verdade, de 150 países, podemos nos orgulhar de saber que há apenas 18 países mais sanguinários.

Dentre os países que gostam de matar, a renda típica é de USD 2500, bem menor do que a nossa. Exceto por Trinidad e Tobago, que tem renda de país rico e mata para valer, estamos falando de Costa do Marfim, Burundi, Uganda e por aí vai.

Tirando as tranqueiras, os países assassinos são: Colômbia, África do Sul e Brasil.

Bacana, não?

Pelo menos para matar o tempo ...

Legal o Maurão estar escrevendo aqui. Deve trazer um pouco de lucidez.

Fabião: não entendi p ... nenhuma do seu post.

Ricardo Reis e a recessão em portugal

Não o heterônimo do escritor famoso (mais aqui do que em Portugal, na verdade...), me refiro ao economista, professor em Columbia, uma das estrelas da macro no mundo acadêmico

Ele chama a atenção para o fato de que entre 2000 e 2007 Portugal não cresceu, ao contrário de Espanha, Irlanda e até mesmo Grécia. Mas recebeu um puta fluxo de capital externo...estranho não crescer, ainda que bolhalmente  (como ESP) assim...

O modelo DSGE dele pra explicar isso é assim:

tem dois setores, tradables e non-tradables;

e um sistema financeiro domestico pouco desenvolvido, o que significa na pratica que apenas quem tem muito colateral pra apresentar consegue crédito;

a produtividade cresce mais no tradable sector;

o afluxo de capitais prejudica o tradable via apreciação do cambio real e esse também toma na cabeça um aumento meio bizarro de impostos;

essa conjunção diminui a capacidade de apresentar colateral  no setor de tradable;

porque o sistema de credito é meio ruim, isso significa que mais credito -- esse que vem com a zeragem do risco cambial plus moral hazard -- vai pro setor nontradable e menos pro tradable que é o mais produtivo

= MISALLOCATION

= Crescimento fraco da TFP

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Indústria-->Serviços (4/3)

Querido Sobrinho,
Seria legal fazer um modelo com dois setores e daí aplicar um choque negativo de produtividade na indústria. Meu chute é que o emprego cai (o choque de produtividade negativa vai dominar a mudança setorial), a menos que vc invente preferência estranha, com elasticidade de substituição conveniente entre os bens de consumo serviços vs indústria.
A ideia de fazer com um setor é se livrar de ter que dar um choque de produtividade. O "choque" é no capital share.
Vc está certo, across de board.
Por sinal, aproveita que vc está aí na University e manda um abraço para o meu amigo Bob Lucas - ele citou minha tese há uns vinte anos atrás. E também para o meu amigo José Alexandre, que gosta muito de mim.
Beijos, FK

Industria-->Serviços (3/3)

Fabio Romão me passou uns dados da RAIS por setor, o que me permitiu, acumulando o fluxo do CAGED, criar séries de emprego para indústria e serviços. Na figura as taxas de crescimento anual dessas duas séries.

É, está cada vez mais difícil comprar a história...

Indústria --> Serviços (2/3)

Chico me mandou uma tal de matriz setorial que incluía a remuneração do trabalho e capital. Isso me permitiu calcular (aproximadamente) o capital share do setor de serviço e da indústria: 0,37 e 0,46 respectivamente. Supondo que a indústria passe de 30% do PIB para 15% do PIB, isso faz o capital share da economia mudar de 0,40 para 0,38. Daí, colocando outras hipóteses (beta=0,98, delta=3,6% anual, preferencias logarítmicas, alpha=0,60 (peso do lazer na função de utilidade)), eu chego nos seguintes steady states para antes e depois da mudança:

O que me choca do resultado é que o número de horas (h) aumenta muito pouco (na verdade cerca de 1%, nem dá para ver na tabela). Mas o estoque de capital e o PIB caem bastante. Em outras palavras, a mudança setorial tem muito impacto sobre o investimento e o crescimento do PIB, mas não sobre o mercado de trabalho.

Industria --> Serviços (1/3)

Tem essa história de que a mudança setorial (indústria afundando e os serviços crescendo) tem efeito sobre o mercado de trabalho. Isso porque serviços são mais intensivos em mão-de-obra, blá, blá.
Como avaliar se isso faz sentido quantitativamente?
Minha primeira dúvida é qual o experimento proposto. Devo supor que houve (i) um choque de produtividade negativo na indústria, (ii) um choque positivo nos serviços, ou (iii) nenhum dos dois e muito pelo contrário?

Sei lá. Como primeira tentativa vou simplesmente supor que houve uma mudança de Market Share em uma economia com um só setor.

Novo método de ensino


Departamentos de História americanos estão adotando um método de ensino revolucionário. Abaixo uma aula sobre Benjamin Franklin.



Talvez devêssemos trazer essa ideia para os cursos de Economia.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

oh man...

this blog is sinking faster than the Titanic

is this snob at the photo Heraclitus?

no one has nothing to say here .... these fucking boring "lists of whatever" are the indeniable evidence

now they hired this mauro guy, saying wonders of him...only the super star FEA professor writes nothing at all ! it is ludicrous !

i am quitting, ok? better take care of my thriving business here at Brookline, MA.

oh, any news from the third-fag, that Toledo guy? I heard he had become a rich entrepreneur, like myself, but it may be only rumours, he may as well be dead by now

domingo, 18 de agosto de 2013

8 Best young brazilian economists (under 40)

1 - Bresser : ok, he is not that young, but this is partly offset by his very fresh economic ideas (a man is as young as his ideas)

2 - FK: undergoing a significant hair-thining process but still capable of using dexterously the Matlab

3 - CESG: undergoing a significant receding hair-line process but still capable of doing a good amount of algebra

4 - Pedro Cavalcanti: only columnist in "The Value" who still does serious academic research

5 - Samuel: only columnist in "The Leaf" able to do growth decomposition analysis and at the same time tell you everything there is to know about cachaça spiritis

6 - Alex: the most corageous young economist ever; capable of churning out articles on the problems of the brazilian economy every other minute

7 - De Bolle: knows a lot of literature, speaks english like a native, worked for the IMF and says very attractive things

8 - Genta: a bit above "optimal weight" but eating salad and meat every day after rerunning the SAMBA model endlessly in the Excel

9 - Economist X, who should top this list, actually, since he is sort of a linear combination of all the above and costs are convex

sábado, 17 de agosto de 2013

O cambio e o BC

Na verdade, deveria ser o cambio e o governo. A economista-chefe por essas bandas eh a presidenta, nao podemos esquecer. Isso tem implicações importantes.  Eu duvido que o governo esteja assim tão preocupado com a mudança de preço relativo, duvido muito. Carlos Hamilton pode até estar preocupado com a inflação que vem do câmbio, mas o que conta em termos de Selic é o que Dilma pensa, e em menor grau o que o Tombini pensa.

Lembrem-se meus caros que a meta do BC para esse ano é 5.83  e para ano que vem 5.82. Me parece que a Selic não precisa ir a 10.5% para que esses objetivos sejam alcançados. Vou comprar esse papel pré aí.

Ciaozinho

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Neoliberal

Caros liberais,

Obrigado pelo convite. Salários ok, mas ainda precisamos acertar luvas e tempo de contrato.

Pelo que eu entendi, sou o mais novo liberal, ou o Neoliberal. Estou começando a entender o que os sociólogos e o Bresser querem dizer com isso.

Minha próxima ação será vender o blog para uma holding e colocar propaganda da Coca-Cola e do McDonald's. E vocês serão substituídos por George Bush, Bill Gates e Warren Buffett.

E tenho dito!

Euforia na Europa

Os dados de atividade de fato melhoraram bem no velho continente.
Passaram de uma coisa nas vizinhanças de -1% para algo perto de 0%...
Eu não quis ser irônico, é um delta razoável
Mas a pergunta é: esse 0 vira 1 ou fica 0
O que ocorreu lá foi: sofrimento, desemprego, recessão, derrubando custo unitário do trabalho através da periferia. Isso deu uma ajeitada nas transações correntes.
Porem, não vi nada além disso e de um draghi tentando tirar a coisa do risco sistêmico com os OMTs
Reformas deram uma estacionada, e bancos estão, pelo que ando lendo, bem problemáticos
Ano que vem o BCE assume a regulação dos bancos maiores
Ele vai querer fazer estresse de verdade, eu penso
Aí vai dar um segura-peruca, eu acho

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

NOVA CONTRATAÇÃO: MAURO RODRIGUES

Esse Blog está acertando a contratação do professor Mauro;

Estamos em fase final de negociação;

O salário demandado pelo professor Mauro não pode ser divulgado, mas é na casa dos seis dígitos /ano.;

Ele disse que só vai postar uma vez a cada 8 dias.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Janela de Oportunidade para Política Monetária

Não entendi essa nova moda. Imagino que a lógica é que a inflação baixa fará que o juro real seja mais alto (para um mesmo nominal), o que terá maior impacto sobre hiato e inflação. Mas o que importa é a inflação esperada, não a corrente. Na figura, do Focus, a inflação esperada p os próximos 12 meses.

Metamorfose

Um economista chamado Belluzo lançou um livro chamado "A metamorfose do capital".

Pensei em algumas possibilidades:

a) sobe juro lá fora e crescimento acelera nos centros; capital voa dos países em desenvolvimento para os desenvolvidos
   
   FIM


b) risco aqui aumenta porque governo faz muita coisa errada na politica macro e covardemente impede aumento de varias tarifas; aí obviamente o capital se metamorfoseia e vai embora !


   FIM



c) o capital acorda um dia de manhã e descobre que na verdade é uma barata, com dificuldade até para sair da cama.


   FIM (seguido de revolta no mundo literário e um Processo que chega da Europa)

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Delfos in The Value

Sorry, you are wrong again, Delfos. And i find it important to inform the readers, even though i love you.

Rational expectations is not incompatible with excessive volatility as you suggest in your piece today. Quite the contrary. In a rational expectations model all incoming news generate price  swings.  it is precisely because agents are rational that asset prices gyrate so much. Jesus, Delfos, u should know this.

Now, tell me this, Delfos. Suppose the president is Cardoso, and the economic indicators are Dilma's: inflation above 6, current account at minus 3, growth close to 2. Would u be so praiseworth as you are towards Dilma?

Do not answer

I love you delfos! You give me a reason to continue living

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

X is back, changed

I dont know who is the joker, but I am not cesg or Mauro

I arrived yesterday here

I am concerned about 2014 elections. Dilma is a lame duckess; Aecio is sleeping; Marina may win
But she won't be able to govern; no solid backing among the polity as all of you know. I also worry she will fret about the environment and thus hamper important infrastructure projects.
We sorely need infrastructure capital; even Butter knows that; so to the hell with a rare fish swaggering its funny tail in the amazon river.

She writes nice poetry, though.

Like myself:

"Oh Marina, dear regina from the amazon bay;
as a child you did suffer; but in silent you endured;
do not project those dim shadows onto the future (our future);
retire the anger against machines, and lead us into a brighter future"

Affonso Celso, in the Big State

Open the Big State, page B6. There you see him, A.C.P.

I write to praise him today

Not because he says inflation will be above 6,5% next year. It will not be. It will be 5.81%

Not because he said real rates rose from 2% to 4% and yet inflation is still rising. Inflation is not rising (its derivative has negative sign)

Not because he runs that sort of regressions where all variables are endogenous and if you complain he nearly kills you

But because if you look carefully at the photo, you see Mascollel´s book at the background!!!

That is something!

Now, my question is this: did he really study it? Did he marvel at chapters 13 and 14 and because of these chapters did he consider quit running those cheap regressions to become a theorist?

Cheers,

X

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Pra onde vai o deficit em Transações Correntes?

Tem a negada do apocalipse dizendo que o déficit externo vai bombar, vai pra 4,5% do PIB por conta da China.

Acho que não vai não, acho que daqui a um ano e meio ele vai estar mais perto de 2,5%. Por dois motivos meio óbvios: o câmbio depreciou bem e, mais importante, meu forecast pra atividade é de um PIB rodando na casa dos 2%. A elasticidade das importações à atividade é muito alta.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Payroll vai cair

Foi isso que o Ben me disse. Ele olhou o blog, viu as besteiras que eu disse sobre a relação entre payroll e política monetária, e me contou as contas dele. Primeiro, o payroll está inchado. Na primeira figura a relação entre o payroll e um componente comum dinâmico de vários indicadores do mercado de trabalho (colocado na mesma métrica). Na segunda, o payroll e seu equivalente do JOLT. Na tabela, a relação entre payroll e PIB obtida através de vetor de cointegração (com amostra e lags cuidadosamente escolhidos pelo próprio Ben). Segundo, com um payroll de 150, e participation rate caindo 0,1, disse ele, o tapering acaba no meio do ano que vem (desemprego = 7%) e o hiking começa na segunda metade de 2015 (desemprego = 6,5%)
É, esse cara é bom mesmo.



Addio "trem bala"?

Bom, parece que nego não quer entrar nessa licitação. O ruim é que isso pode ser verdade para as outras licitações também, as importantes para o Brasil. O bom é que nós brasileiros escapamos de financiar esse elefante branco aí, caro e quase inútil.

Dizem que a Dilma quer usar os recursos públicos que entrariam na ajuda ao Bala para melhorar mobilidade urbana. Se apenas por isso, já valeu a manifestação das ruas.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Stay right where u are, Toledo

As the reader may have noticed, Toledo has not posted for more than 2 months.
He does not like me and X; he thinks we are too rude, unpolite, senseless, neurotic, excentric, stupid und so weiter.
Of course, we dont give a shit
We told him so.
What does the fag do in response?
He travels to the moon. No kidding. He sent us a postcard from there.
Hey, listen, you may very well stay where you are, you lazy prick. Jump, jump, jump till you get out of orbit.


Volatilidade da PIM e PIM pra frente

Rimou estranho esse título.

Volatilidade tem a ver com incerteza / alterações esquisitas de policy, ou muitos choques vindos do além.

Nenhuma dessas coisas é boa pra investimento, pro empresário.

Então deveria ter uma correlação negativa entre medidas de vol e crescimento

E tem, ao que parece...

O coeficiente parcial controlando só pra constante é bem significativo;

Ah, não me enche com coisas de endogeneidade, se não eu mando o A.C.P te ligar!





O que é bom p os EUA é bom p Bra

Recebi uma pergunta interessante. Será que dados bons p os EUA são ruins p a economia brasileira ? (economia EUA boa à sobe treasury de 10 anos à desvaloriza o Real à sobe juros brasileiro à economia brasileira afunda)
Eu entendo que, em princípio, esses efeitos financeiros seriam secundários, e a transmissão primária dos EUA para o Brasil seria positiva (melhor comércio e mais produtividade). Imagino que um modelo rigoroso vai sugerir isso.
Por outro lado, se eu acreditar (e eu acredito) que há alguns preços muito estranhos (o juro de 10 anos nos EUA e, sobretudo, o Real), fora do seu fundamento, dá para contar outra história. Algo como: os dados nos EUA estão servindo como gatilho para fazer preços retornarem aos seus fundamentos. Como o câmbio brasileiro estava totalmente errado (muito apreciado), esses eventos fazem com que haja uma mudança abrupta no Real, e esse efeito irá dominar o canal primário.

Note-se que eu estou apelando para alguma “não-convexidade”. Em vez de externalidade, ou outra imperfeição conhecida, estou falando que “os preços estão errados”. O CESG, que é muito ortodoxo, e acredita em Real Business Cycles, vai ficar bravo.

cadeia

Achei divertido:
http://www.vanityfair.com/business/2013/09/michael-lewis-goldman-sachs-programmer

domingo, 4 de agosto de 2013

PRÊMIO P.I.E.L.A, EDIÇÃO AGO/13

Por sugestão de nosso colega Bernardo, damos início hoje ao prêmio P.I.E.L.A

PERFEITO IMBECIL ECONÔMICO LATINO AMERICANO

Os leitores interessados deverão enviar ao email economistax@gmail.com sugestões de imbecilidade econômica crassa até dia 29 de cada mês.

A comissão formada pelos quatro integrantes desse blog escolherá a Imbecilidade do Mês em reunião secreta nos dias 29 e 30, na residência do economista x ou em algum outro lugar

Não caberão recursos à decisão

Os e-mails podem ser anônimos ou não

Os participantes deverão enviar um email com no máximo cinco linhas explicando a sua escolha. Algo como: "o senhor y defendeu que fixar o preço do kg da batata em 1 centavo aumentará o consumo de batatas na população. ele esqueceu de pensar no ofertante de batatas, que vai deixar de plantar, obviamente"

Apesar do título, a imbecilidade e o imbecil econômico associado podem ser de qualquer nacionalidade: iraniano, canadense, argentino!, alemão, chinês, etc. A A.Latina é fonte importante de imbecis econômicos, mas seguramente existem outros fora do nosso amado continente.

Dúvidas sobre esse regulamento não serão respondidas

Em caso de empate, Antoninho de Botucatu terá o voto de minerva

Por fim, o vencedor não ganha nada, claro.

Atenciosamente,

A Comissão

sábado, 3 de agosto de 2013

NOGUEIRA, Thank You !!

Hi,
Ich bin in Berlin.
Be back soon.
I made a pause in my readings about Goethe and Musil to thank Paulo Nogueira, a man in the IMF.
A moral hazard champion! An ultra orthodox mind, since voting against the greek package means demanding more recession from the spendthrift, spoiled, corrupt, greeks. "Adjust you lazy profligates" is what he probably actually thinks!! I was stunned.
Frankly, we need more Nogueiras around; maybe not so radically orthodox, but given we have only leftist economists in the goverment...oh, yes, and thanks also for demoralizing your boss, the minister. That was a plus!

Auf wiedersehen

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

CESG was hired by Globo

Man, rumour has it that cesg was hired by Globo News with the sole purpose of attacking the government on TV. A camera man told me he acted like crap during the recorded interview; didn't let Ilan and Eliana end their sentences; an unpolite, show-off cesg, as usual. Well, let's hope he didn't say the usual shit, at least.
FK (he is here in USA) told me it will be aired this saturday at 23hs and sunday at 11hs; I will follow from my cosy bangalow here in MA, USA. Jesus, cesg, you have to stop embarassing me

ps. where the fuck is X??

Payroll --> Monetary Policy (2/2)

Uso a hipótese de que a participation rate ficará constante. Implicitamente, o retorno da queda exagerada compensará o efeito demográfico, que leva a uma redução de 0,3/ano.  Daí, fazendo umas contas acochambradas com o crescimento da PIA e outras cositas mas, chego a uma relação entre payroll (por mês) e queda no desemprego (por ano), mostrada na tabela. Daí, calculo quantos meses são necessários para o desemprego cruzar dois limiares importante. Primeiro o do fim do tapering, associado a um desemprego de 7%, esperado para meados de 2014. Segundo, do threshold de 6,5% para pensar em subir a taxa de juros. Por exemplo, com payroll de 200, o fim do tapering seria daqui a 6 meses (janeiro), e o threshold de 6.5 seria cruzado em 14 meses (set/2014).


Eu rodei uma taylor, deu i < 0

O FK acha que o CBO é cheio de doidos.
Então a medida de hiato do PIB deles deve ser a certa. É bem negativa
Então eu rodei uma regra de taylor pra ver, usando dados de hiato do CBO e de inflação esperada para os próximos 5 anos, qual deveria ser o juro nominal lá.
Deu que deveria ser negativo.
Eu fiz OLS.
O Genta pediu pra eu rodar um GMM,
Eu não rodei, mas deu igual.
Eu fiz com e sem juro defasado.
Com juro defasado era para os fed funds estarem em -3%; sem juro defasado, era pra estar -0,5%
Aí eu conclui que o juro não sobe até 2015
Eu sou um gênio?

Payroll --> Monetary Policy (1/2)

A diversão é mapear o payroll gringo em queda de desemprego e assim em datas importantes para a política monetária. O difícil é saber o que vai acontecer com o participation rate. A figura, do paper do Erceg e Levin (recomendo) mostra o que aconteceu. Devido a queda do participation rate o desemprego vem caindo, mas essa queda está sendo muito superior do que o esperado pela demografia. Parte dessa queda pode se reverter, mas há a questão de histerese. Os velhos que saíram da força de trabalho na grande recessão talvez nunca voltem. O duro, em outras palavras, é saber não somente quanto é cíclico e estrutural da queda do participation rate. Mas também saber quanto do cíclico é permanente.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Second quarter GDP; BRAZIL

Man, what is Lima Barreto doing here? Jesus, what a place to show up...

Ok, I will be brief. I ran my factor model using the new data on Brazil´s industrial production released just recently. It tells me second quarter GDP growth will be 0,9%.

Since other high frequency data suggest the economy decelerated after July, this will be the best figure for the entire year. Sort of disappointing.

Man, here in MA, USA, I have been selling a lot of ware. When I go back to Pindorama, in 2017, I will bring back a lot of dollars with me. I will become an affluent brazilian, given the then prevailing Exchange rate (i forecast it will be around 3,30)

Reeleição da Dilma

Abaixo os gráficos inconfundíveis do CS, de um texto da lavra do Lavarda, a quem eu não pedi autorização para colocar aqui. O ponto central é que com 32% de ótimos/bons a Dilma é reeleita. Ela está com 30% agora, mas vai subir, tenho certeza.

Essa coisa de melar a Lei de Responsabilidade Fiscal com projetos de transporte urbano me deixou chateado. Estava comprando a história de que o Governo está escutando o mercado financeiro. Não está não. Os efeitos dos protestos foram piores do que eu imaginava.


price-level targeting (very wonkish)

resumo dos pontos a favor de price-level targeting (minha fonte aqui é o NBER 19187 do R.Reis):

num modelo com calvo contratos e agentes forward looking, após um choque os preços não sobem tanto porque os price-setters sabem que o nível do preço futuro vai ter cair relativamente ao nível pós-choque para o governo manter o target no nível certo. consequentemente, o desvio na inflação é menor após o choque

com price-level targeting tem menos tentação para o governo dar surpresas inflacionárias para matar pedaço de dívida porque desvios para cima na inflação precisam ser corrigidos com desvios para baixo depois (no sistema de metas de inflação, desvios da inflação pra cima não precisam ser compensados com inflação mais baixa que a meta depois...)

se variabilidade nos preços é algo ruim pois atrapalha planejamento, o sistema de meta de inflação tem uma característica chata: impõe uma raiz unitária no nível de preços (o price-level targeting reverte à média)

com price-level targeting, não faz sentido escrever contratos que indexem à inflação passada; não é necessário compensar perdas assim pois os preços, no nível, revertem. isso é bom porque com menos indexação os preços ficam mais flexíveis, o que aumenta a eficiência da economia

o price-level targeting reduz a variabilidade da inflação no LP, reduzindo prêmios de risco de ativos nominais

em tempos de zero bound e inflação baixíssima, ele é um commitment device automático sinalizando um objetivo inflacionário mais alto à frente (pois a regra diz que precisa recuperar o "nível perdido")

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Summers

Ele tem um paper no jmcb de 1993 com o Alesina
Eles mostram uma correlação, nada mais que um grafico de dispersão, entre grau de independência do BC e nível de inflação! Desculpe-me, Larry, mas há vinte anos já se conhecia viés de variável omitida, nego.

Summers NÃO é hawkish. Ele escreveu aquele paper com De Long dizendo que contração fiscal aumenta razão dívida/PIB. Como um cara desse pode ser taxado de hawkish?

terça-feira, 30 de julho de 2013

Yellen contra Summers

Critério                   Yellen     Summers
Sensatez                    X
Criatividade                                     X
Liderança                  X
QI                                                           X
Fed                                 X
Obama                                                X
Hawk                         (nenhum)

Eu acho que o Summers seria pior para e Economia e tornaria minha vida mais divertida, ou seja, estou torcendo por ele. Mas minha consultora me disse que Yellen é batata. 

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Yellen's Optimal Control 1 (pessoal)

Meu trabalho de graduação em engenharia foi em optimal control. Depois disso, quando eu era jovem, e estava pensando em fazer doutorado, eu pensei em aplicar isso a modelos de economia. Mas me disseram que não funcionava, porque tinha um negócio de time inconsistency que atrapalhava tudo. Depois disso, quando eu era jovem, e estava no doutorado, eu aprendi que dava p usar optimal control, mesmo se houvesse um jogo, através da escolha de um equilíbrio conveniente, tipo markov state perfect. Também que não se chamava optimal control, mas utility maximization. Agora que sou velho, a Yellen me vem com essa de optimal control. Será que ela não sabe que o nome mudou?

People are bayesian

The proof is this: the FED announced tapering has no links to interest rate decisions It affected market rates nevertheless. Why? Cause people are bayesians, when Ben said QE is becoming unnecessary bayesians rightly revised their whole expectations about the economy and FEDs reading of it. It is only natural.
Bye now, be back in september.
X, the founder

domingo, 28 de julho de 2013

stop the whining

People complain too much. It is annoying. China is decelerating to 6%, but USA is picking up steam. It will add, at the end of the day, to zero variation in world output. It is actually better than that, since world GDP will probably face smaller risks in this new configuration.
Oh, yes, interest rates will have to return to normal, but jesus, man, that is a good sign.
Brazil did not reform since 2005? Afraid of capital reversals? Took the heterodox path and now has to deal with high inflation, low growth and widespread inefficiencies? Not my fault...

Dear friends, I am going to Germany for 1 entire month beggining tomorrow. Will not post. Will not read economics, will read Musil only.

Bye now

sexta-feira, 26 de julho de 2013

E essa Europa ai, hein?

Tem uma certa tendenciazinha de melhora nos PMIs mesmo. Mas devagar com o andor, os dados sugerem que crescimento é mais para 0 do que para -0.5%. Só isso.
De fato, um ajuste os negos fizeram por lá. Os desequilíbrios em transações correntes se reduziram muitíssimo e teve contração fiscal. As recessões alinharam os custos unitários do trabalho nos periféricos, com exceção da Itália. Ajuste do tipo dolorido, porque não tem cambio nominal.

Mas e a liberalização dos mercados de bens e de trabalho, para melhorar crescimento de LP? E a quantidade de merda dentro dos bancos?



quinta-feira, 25 de julho de 2013

Bernard Shaw

"Reformers have the idea that change can be achieved by brute sanity"

pacotinho chines

isso, pacotinho
pequeno, modesto em escopo e tamanho
gostei bastante do pacotinho chinês: não promove pancada de demanda nem expansão de crédito, mira no lado da oferta da economia com humildade
alguém queria algo diferente disso?

quarta-feira, 24 de julho de 2013

A tese do B.Caplan, no brilhante The Myth of Rational Voter

Suponha que as pessoas tenham preferencias sobre beliefs. Digamos que há um beneficio psicologico em dizer que comercio com os imperialistas norte-americanos é danoso ao Brasil...

A demanda psicológica por pontos de vista irracionais, como qualquer demanda, depende do preço que voce paga por essas crenças. Qual o preço individual de ser contra o livre comércio?? É ZERO. Como suas preferências individuais não são pivotais numa eleição, o preço é zero pois sua crença imbecil (mas psicologicamente agradável) não afeta policy. Bom, então, com preço zero voce vai se saciar de irracionalidade. Aplique o argumento para todos e temos um equilibrio final bem complicado: o eleitorado demandando politicas burras e os politicos, em parte, respondendo a isso (não responde, para sorte nossa, totalmente pois muitos entendem que agradar a crença errada do eleitor mediano pode afundar a economia e assim atrapalhar a reeleição).

É similar a um problema de "commons"...cada um não internaliza o custo social de suas crenças erradas sobre o funcionamento da economia.

A democracia funciona mal, segundo o Caplan, não por um problema de agência tradicional, como afirmam 99% dos economistas. Mas porque o eleitor mediano não paga o custo de nutrir crenças erradas sobre uma porrada de coisa.

Veja que o argumento todo usa micro tradicional, chicago-style. Apenas adiciona uma demanda por crenças. Note por fim que não é estranho a mesma pessoa não aceitar que um salário mínimo mais alto prejudica os mais pobres e na hora de preencher um formulário de emprego onde se pergunta expectativa de salário, moderar no número para não ser rejeitado com certeza. No primeiro caso, não custa nada ser racionalmente irracional!

Livro genial

terça-feira, 23 de julho de 2013

Why growth matters

Livro do Bhagwati e Panagariya

Olhem essa frase aqui

Track I reforms were undertaken by president Cardoso, whose sucessor, president Lula stood on the shoulders when he undertook track II policies that additionally helped the poor.


Dorme com essa, Lulao.

Against the gods: the remarkable story of risk

Livro do Bernstein. Reproduzo o final da introdução aqui

The world risk derives from the early italian risicare, which means to dare. In this sense, risk is a choice rather than a fate. The actions we dare take, which depend on how free we are to make choices, are what the story of risk is all about. And that story helps define what means to be a human being.

Tombini vs. Mantega

No Estadao Domingo, o presidente do BCB disse com todas as letras: a política fiscal está hoje expansionista.

Ontem, o Mantega disse com todas as letras:  a política fiscal é neutra.

Acabou a era da dominância fiscal? O BC vai enfrentar mesmo a Fazenda de frente?

Hofftenlich...

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Marcio Holland ficou nu

Despido pelo sempre atento Mansueto.
A sociedade agradece mais uma vez.
http://mansueto.wordpress.com/2013/07/19/contas-publicas-no-primeiro-semestre-qual-foi-o-resultado/

Saiu no QJE

Interessante o artigo sobre herding que saiu na Economist com base num paper recente
 do QJE. Nao apenas candidatos a vagas com características semelhantes tem chances de serem chamados bem distintas a depender do tempo em que eles se encontram desempregados. O que "identifica" o canal da extração do sinal de caracteristicas nao observáveis eh o fato de que o efeito  eh pequeno em cidades com desemprego muito alto e forte em cidades com mercado de trabalho mais apertado. Se com mercado de trabalho apertado você ficou muito tempo desempregado, ai sim o empregador fica mais convencido de que há algo errado com você.

Mereceu um QJE

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Man, i am tired

Of conjuntura analysis...

BCB SEEKS TO REGAIN CREDIBILITY
LULA STRIVE TO GET MEIRELLES IN FAZENDA
SOME ANALYSTS SAY BRAZIL POTENTIAL GROWTH RATE CLOSE TO 2%, OTHERS SAY IT IS 4%
LATEST INFLATION RATES CLOSE TO ZERO
ARGENTINA SET FOR DISASTER
CHINA HEADS FOR SOFT LANDING
GREECE's TENTH BAIL-OUT APPROVED
FK IN NY TALKING TO INVESTORS
ECONOMIST X MEETS DILMA SECRETELY BEFORE DAWN
BERNANKE CALMS MARKETS AND PROMISSES LOW RATES TILL HE DIES
BNDE PICKS ANOTHER WINNER, NOW GROUP Y IS THE CHOSEN ONE
ARNO SAYS HE IS SERIOUS ABOUT FISCAL ADJUSTMENT
RISK AND LONG TERM RATES COINTEGRATE

Oh, man, i am tired.

Bye

Yesterday I studied a lot

I reread all papers about the empirics of economic growth

Man, the Exchange rate has nothing to do with growth, I learnt.

Fixed rate regimes increase output volatility, but it´s basically that

Jesus, where did belluzer get his mania?

One has to beware of omitted variable bias (but I guess the Loser cant grasp the idea): domestic savings affect both the Exchange rate and growth rates (the latter under certain conditions).

Once I told Rodrik about that, but he feigned he couldnt understand my accent. Shit, that´s why I moved to MA, to improve my accent. It is not working.

ps. people are suggesting i am Pedro Cavalcanti or Marcio Garcia, or Celso T. Man, I am a linear combination of all of them...

quinta-feira, 18 de julho de 2013

hey, president, did u read the Ata?

Man...change the assumptions on fiscal policy, will u?

O Copom observa que o cenário central para a inflação leva em conta a materialização das trajetórias com as quais trabalha para as variáveis fiscais, não obstante iniciativas recentes apontarem o balanço do setor público em posição expansionista. O Comitê nota que a geração de superavit primários compatíveis com as hipóteses de trabalho contempladas nas projeções de inflação, além de contribuir para arrefecer o descompasso entre as taxas de crescimento da demanda e da oferta, solidifica a tendência de redução da razão dívida pública sobre produto e a percepção positiva sobre o ambiente macroeconômico no médio e no longo prazo.

A good read

http://mansueto.files.wordpress.com/2013/07/texto-marcos-e-zeina.pdf

Political reform

Fuck...
Now these guys in the Congress will peddle the closed-list deadly thing
Man, if you worried about corruption, tighten the seatbelts under a closed-list system. It will boost corruption allright
Thank God I dont live there anymore
I dwell on old Salinger's cabin

SPY?

Hey, this guy from the conference board with a fancy name. He said Brasil is in need of economic reform....
I bet he is a spy!

Laughable

Dilma said yesterday She is the one in charge of economic policy!
But that is precisely the problem, miss!
Call HM, please. He said he would call X.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Chico Lopes and the knife of 2 sides

jesus, chico, do u realize the bias u mentioned cuts both ways ?

man, i bet my grocery shop GDP will not grow 2.5% this year

damn, there is another russian wanting some vodka

self-serving special interest

Hey, I am not on this fucking isle with the 3 fags and X. I am a grocery owner at M.A, don't have time for this, gotta work to do, damn.
I read the Big State already and saw the brazilian doctors are complaining about the foreign doctors coming in. Go to hell ! Dont bullshit the public with your self-serving arguments; say simply you do not want competition and you care shit if this blockade of yours harms society.
Now, I am very happy medicine students from public universities will have to pay back society for financing their expensive studies. But Dilma, my dear, my precious, you shouldnt have included those coming out from private schools. They pay their fees, and later, their taxes.
There is a russian knocking at the door. It is full of russians here. Damn, I need some vacations.


domingo, 14 de julho de 2013

viés de variável omitida

em 1899 "descobriu-se" que se as crianças dormissem com 2 travesseiros elas aprenderiam mais coisas na escola

anos depois, em 1909, um estudo mostrou que o grupo de crianças cujos pais haviam comprado o tal segundo travesseiro tinham apresentado desempenho escolar superior à média

...

um cérebro mais oblíquo à noite ajuda mesmo no aprendizado?

Sunday, in Big State

Pastore did a good job today; showing a nice correlation between commoditie prices and Brazil's GDP growth rate. With the end of the super-cycle led by China, Brazil -- and for that matter nearly all LA -- will have a hard time growing at 4% again. Lula was extremely lucky. Pastore likes granger-causality tests. Dear Afonso (doppia ff?), this test means simply one variable's moves precedes movements in the other one. In the case at hand however, you can claim true causation!

Dear Persio, you too did a good job in the interview...smaller government and taxes coupled with more openness is the right way forward. And less public credit. Now, stop asking for lower target for inflation, 4.5% is good enough. If we only could make sure the BC does pursue this goal. Why dissipate energies asking for 3%? It is irrelevant in terms of welfare and politically costly.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Endogenous regressions

Why cant i too run regressions in which explanatory variables are endogenous?
Mine is superior to Pastore's: i have one exogenous regressor!
Real long term rates in Brasil against long term treasuries and domestic risk (yes this is endogenous to interest rates...). This OLS tells me this: real rates here didnt rise above what the historical correlations suggest. If anything, it could still tick a bit higher...

Now, will i become as famous as AFP?

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Gleise, não torra vai!

É coisa de quem é inseguro intelectualmente esse tipo de atitude da Gleise H., de falar com narizinho arrebitado que dispensa os conselhos do FMI. Deixa de ser neoboboca, vai, se não o FHC vem te pegar...
O FMI só disso o óbvio: que o Brasil precisa cuidar mais do lado da oferta e dar menos importância pra impulsos de demanda. Presta atenção, pensa e fica menos nervosinha, tenta ajudar o Brasil.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Ben no NBER

Antoninho acaba de mandar isso, direto de lá

Samuel Pessoa vs. André Lara

Eu fui professor de ambos, durante a segunda guerra mundial líamos juntos o MGW num túnel em Londres.

O AL anda falando que grupos de interesse construíram um estado gordo que os beneficia no Brasil

O SP está dizendo que não, que é muita transferência mesmo, mas que beneficia a própria sociedade, que foi uma escolha dela sociedade

No Brasil os velhos em geral se organizaram pra ferrar as crianças com essas transferências via seguridade social. Eles votam, as crianças não, bla, bla, bla. Então não foi "estamento", Samuca, mas foi o "estamento dos velhos".

[Esse SP e AL andam lendo muito Raymundo Faoro..."estamentos" eh uma palavra legal de falar. Eu li tambem o Faoro, é legal até a pag. 389. Depois é chato. Tem alemao, italiano, frances e ingles lá. O Faoro estudava o dia todo.]

Mas querido SP, os funcionarios públicos comem uma fatia gorda da grana previdenciária. Dá pra chamar isso de " 'estamento' fudendo a sociedade", não dá?

Querido AL, mon cher, política social nos anos 70 non c'era. Nulla. O Estado quis socar capital na economia, foi esse o game, mas acho que foi porque eles acreditavam nessa coisa cepalina de verdade. Aí desperdiçamos montes de dinheiro.




Hi Giambiagi !

Hi Fabio!
Liked your comment that even if workers/non-workers ratio will continue to grow, the elders part of the non-workers will grow faster than the children lot and hence Pensions will be in dire straits (children are financed by their families).
At the end of your piece, you say this: gdp grew 4%, pop.ocupada grew 2,5%; product per worker hence 1,5%. Then you go on to say: with pop.ocupada growing only 1%, and gdp per worker at 1,5%, total gdp growth will not reach 3%....well, the math seems right, but what really counts is gdp/capita, right? So why the fuss?? Well, of course, we will have a Pensions problem, but that does not look like what you had in mind in the last sentence of your article in The Value.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Bernanke signalling game

Paulo Krugman apontou que a reação da parte curva dos juros também deve ser entendida como signalling e reputation. O Ben veio com essa de tapering em setembro, o mercado entendeu que ele é do tipo hawk, e portanto a subida de juros está mais próxima. Ele não gostou, mas tampouco conseguiu evitar o movimento (claro que tudo isso é a minha interpretação, mas como sempre ela está correta...).
Talvez amanhã, no NBER, ele consiga mostrar que ele é uma pomba, que o motivo do tapering não tem nada a ver com a economia. A verdadeira razão é que ele está cuidando de seu legado, quer iniciar a saída do QE enquanto ele ainda está no comando. Mas ele não pode falar isso. Outra possível razão para o tapering é que há problemas operacionais no QE, já está faltando MBS para ele comprar, sei lá. Mas isso ele tampouco pode falar. É, acho que ele não vai conseguir.

A melhor alternativa é ele abdicar do cargo agora e colocar alguém com reputação inquestionável de pomba - podia até ser alguém do BCB...

domingo, 7 de julho de 2013

Signalling game

Antoninho called me from MA, USA.
He said there are rumours circulating about Butter's fall...
Can Dilma achieve a separating equilibrium in the signalling game she has been playing recently?
Only with a strong move, donna, really strong (overthoughness as is known in the literature). You have to convince people the new person in charge of the economy has views that are opposite to yours and has no private costs in leaving the government in case you interfere or merely frown.
A.T is not this person, for instance...
neither is L.C
A.C.P is;
as is A.F;
or H.M too;
X; FK; A.B?...yep, good picks too

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Passthru Redux

Com o câmbio fazendo o que está, as discussões do passthru voltaram, e com elas a pergunta de quanto de juros será necessário para conter a inflação.
Alguns estão dizendo que devido aos protestos há menos demanda e o passthru será menor, e uma pequena alta de juros basta. Outros que devido aos protestos as empresas não estão mais preocupadas com market share, só em sobreviver, preferem repassar todos os custos, e o passthru será maior. Como consequência, será preciso uma forte elevação dos juros.
Eu gosto sempre de lembrar que o passthru é uma medida da condescendência do BC com o câmbio. Ele contém implicitamente a elevação dos juros do BC, não é um primitivo que possa ser estimado. Ou melhor, até pode ser estimado, mas muda completamente se a reação do BC mudar.
Suponha um mundo em que não há nenhuma reação do BC. Um choque estranho causa depreciação do cambio nominal, mas isso (aproximadamente) não altera o câmbio real. Daí, a inflação será (aprox.) igual a desvalorização, e o passthru igual a 100%.
Alternativamente, suponha que estimamos que o passthru brasileiro é 7%. Melhor dizendo,  quando o Real deprecia 10% o IPCA tipicamente sobe 0,70%. Nesse mesma estimação picareta chegamos que quando o Real deprecia 10% a Selic tipicamente sobe 100bps. A pergunta da moda é: quanto a mais de Selic é necessário para conter a inflação dado que o passthru é 7%? A resposta, é que esse passthru de 7% significa que no passado a função de reação do BC era subir a Selic em 100bps quando o Real depreciava 10%.

Confuso? Tomara que sim.

Audiencia no blog hoje

ela caiu pela metade de uma sexta feira média

inquiri as pessoas sobre possíveis porquês

as respostas:

FK: porque sairam dados do ipca e do NFP hoje; entao nao se podia perder tempo esse bloguizinho chinfrim;

CT: nao sei;

Antoninho: because i did not post, of course

X: porque o governo está pagando as pessoas para não entrarem

Genta: porque está todo mundo estudando o modelo SAMBA em suas casas

Antonio Madeira: porque voces nao defenderam com vigor a familia, a tradição e a propriedade

Augustin: porque voces nao entendem contabilidade criativa

Augustin in Big State and The Value

Jesus, Arnold, you are becoming famous! Not for good reasons, of course...

Arnold, you're totally discredited, and this is now irreversible. Dilma should sack you.

You proved, in your interview, you know some accounting.

Like a good left-wing, you cant lose an opportunity of FHC-bashing, right?. It borders the comic, Arnold.

Interview:

X: Arnold, should the Treasury refrain from capitalizing BNDE issuing debt, would its credit operations be affected?

Arnold: Yes.

X: Then you are indeed creating money, son.

Arnold: we could have retained the dividends in this case

X: Yes, but then the fiscal primary surplus you are announcing wouldnt materialize. Correct?

Arnold: FHC also capitalized BNDE...

FHC appears suddenly, brought to the scene by Palas Atenas

FHC: Arnold, you are a neo-bobo. Look at the size of BNDE balance sheet during my administration and compare to Dilma's.

X: Arnold, the Treasury does create money capitalizing BNDE in exchange for spurious fiscal primary accounting benefits. If BNDE retained dividends to grant more credit from its own capital base, government's fiscal surplus would be lower

FHC: Arnold, go back to Econ 101. Begin with Varian, and then go on to MGW. The other Arnold knows more economics than you!

FHC suddenly disappears, carried away by Febo Apolo

Arnold: We have to reelect Dilma !

X: That's not feasible anymore, son.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

conversa com dono de escolinha

....bla, bla...bla....

cesg: mas quanto é o aluguel que você paga aqui?

dono: não pago aluguel não, a casa me foi passada quando meu pai morreu, então não tenho esse custo de aluguel

cesg: humm...e por quanto você conseguiria alugar esse casarão aqui, se quisesse?

dono: olha, aqui nesse bairro, um espaço desse tamanho não sai por menos de 15 mil por mês

cesg: esse, senhor, é o seu custo de oportunidade, contabilize ele na dedução do seu lucro e veja se ainda vale a pena manter a escolinha. se o seu lucro de fato é apenas os 10 mil por mês que o senhor disse, vale a pena alugar; ou vender, pegar o dinheiro e por no tesouro direto

dono: cesg, seu sem coração, eu faço isso por amor, não por dinheiro!

cesg: ah, sim, então você me daria um desconto? eu tenho 5 filhos pra criar...

quarta-feira, 3 de julho de 2013

The X group

People are asking me in the streets if I have anything to do with Batista's "X" group.
The answer of course is no. It is just a coincidence.
Batista is putting me in dire straits in the stock exchange, actually (he and dilma)
Companies come and go; succeed and fail taking risks, and this makes for a healthy economy.
But taking risks with the taxpayer money and face limited liability  on the top of it is another story altogether. CEF and BNDE are the most important lenders to Batista's X group. And they do it with our money, at subsidized rates. Now, if one can harness other people's money without asking them and at very low rates, one may well go for a highly risky bet and hope it pays off. If it doesnt, it was not one's money to begin with.
The kings did that in the past. It was a bit more brutal, but certainly less murky.

terça-feira, 2 de julho de 2013

Can an Unicamper learn economics?

They are at least creative people. Today's piece in The Value has a nice title: "Austericidio Fiscal"

An Unicamper always begins by saying that the high interest rates and appreciated currency from the last decade fucked up the brazilian economy. I am not sure if they are aware of this, but the BRL has floated freely in the last decade. Are they sad that people were lifted out of poverty because of commodities and not industrial prowess?

Were real interest rates too high? Let me ask the Unicampers this: was the inflation rate too low in the last decade? No. Oh, but then in what sense was the Selic too high?

To their main point since I am short of time and angry today: they argue austerity now would hurt the economy. Unicampers, do you know what is the current inflation rate in Brazil? Do you know that expansionary fiscal policy coupled with a tightening monetary policy lead to undesirably high interest rates, or you dont study IS/LM at Unicamp?

Oh, yes, I want more public investment too. But do you know this has to be financed out of distortionary taxation that adversely affects private investment? Advocate smaller government consumption and greater public investment ! Or at Unicamp you are not taught what a budget constraint is? I would love to live in a constraint-free world too...

You probably think we lack aggregate demand, right? This is the magic trick: lack of demand! Take a look at the external accounts, boys, before ever saying that again, ok?

Was my title creative too?

segunda-feira, 1 de julho de 2013

lista (obrigatória) de livros de leitura fácil em economia

Basic Economics

Reinventing the bazaar

Undercover economist

Thinking Statistically

More sex is safer sex

Guns, germs and steel

Why the west rules, for now

Thinking Strategically

Banker's new clothes

Saving capitalism from the capitalists

Why nations fail

The myth of the rational voter

Economic theory (do g.becker)

Thinking Fast and Slow

Nudge

Hidden Order

Naked economics

Dilminha 30%

A popularidade da Dilma está convergindo pra do Collor

Se ela já não gostava de prudência fiscal antes, imagine agora que o desespero vai começar a bater e a reeleição vai ficando difícil.

Por que será que o BC largou essa de sup. estrutural no RTI? Foi pra mandar o Augustinho praquelelugar de um modo elegante?


domingo, 30 de junho de 2013

Adicione a Goldman aos 10 worst


Just read the US Economics Analyst, the weekly publication by Goldman about the US. Most readers would agree w me it's one of the best market research out there,  or at least agree that any  European research, or that Deutsche's Lavorna's mumbles about the US, are much worse.
But this week piece, by some fellow called Dawsey, deserves mentioning. He estimates a VAR to measure the impact of the mortgage rate hike over the economy, and just assumes away the endogeneity problem.
I'm sure it would make Pastore proud. But I ask my bro X to put it on the list. Or maybe make a list of the "10 more endogenous economist" including all the schmucks who think endogeneity is not a big problem, that in the end is not quantitatively important and that measuring exercises are useful even when they are obviously flawed.

sábado, 29 de junho de 2013

Trem bala e minha mãe

O governo surpreendeu com retorno anunciado de 7% --- nego falava em 8,5%!
Bom porque talvez aí inviabilize esse trem-treco, totalmente desnecessário
O povo sai ganhando porque o BNDE usa menos do dinheiro dos pobres pra financiar o Bala com seus subsídios incompreensíveis.
Minha mãe, Phd por Chicago, ficou feliz, mas ainda acha que eles podem oferecer outras benesses pro Bala sair do papel. Ela falou que anda assistindo a séria Free to Choose, do Milton, pra conseguir superar esse período de trevas no Brasil.
Fica sempre a pergunta, se o Bala é tão bom assim, por que precisa ser subsidiado com a grana dos pobres, via BNDE?

Mao Style

Em vez de Gangnam, os últimos discursos do Xi são reminiscentes do passado nefasto da revolução cultural. Uma estranha campanha de auto-purificação, com referência a expressão “look in the mirror, groom yourself, take a bath and seek remedies”, que supostamente tem significados conhecidos.  “look in the mirror” = olhe para o Partido, sua constituição e filosofia, “groom yourself” = corrija sua conduta e projete uma boa imagem, “take a bath” = mantenha a mente aberta e limpa e se comporte, “seek remedies” = eduque e puna aqueles culpados de má conduta.
Mais que nhê-nhê-nhê, está tendo implicações para o mercado. Tudo indica que o pulo na Shibor foi deliberado, um stress-test dos bancos. Sua causa foi sazonalidade, que era totalmente esperada, e os discursos pregam que seria saudável uma limpeza no shadow-banking.

Como sempre estou boiando. Mas está ficando interessante.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Nova regra de Taylor

Na divulgação do relatório de inflação o CH disse que a inflação está controlada e que “Se essa é uma preocupação da população, o que estamos fazendo é trabalhar para que essa preocupação seja aliviada e, ao longo do tempo, desapareça”.

Em vez de 5,5% de meta, ou da regra do CESG de que há um teto de 6.5%, a nova regra de Taylor está baseada na preocupação da população. Se sair no Jornal Nacional, o BC tem de subir o juro.
Phoda.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Ben e o 10 anos

O último movimento ajuda a separar o efeito de signalling do efeito de stock. Se o discurso do Ben teve o efeito de fazer o mercado antecipar em 3 meses o tapering, dado que o atual QE é de 85 bi /mês, isso faz com que haja menos 3x85=255bi de compra. O efeito de stock sobre o 10 anos é 255bi.(50bps/1tri) = 13bps. O resto da abertura do 10 anos (uns 35 bps) foi efeito do signalling. De fato, a curva curta mostra a antecipação da subida da taxa de juros, agora já para 2014.

Pessoalmente estou duvidando do mercado (na parte curta). Minha interpretação é que o Ben está separando o fim do QE do aumento de juros. O fim do QE está ligado a se livrar dessa confusão, talvez já esteja faltando MBS para comprar, o housing já voltou, o mandato acaba agora. Já a subida de juros está ligado a economia. Eu consigo interpretar o discurso como ele estando dovish na economia (o papo de baixar o threshold do desemprego para abaixo de 6.5%), mas querendo fazer tapering já em setembro. Na verdade, eu consigo interpretar o discurso do jeito que eu quiser...

A esquizofrenia pesquisador x professor

O pesquisador moderno em economia se agarra ferrenhamente à ideia de que as pessoas não cometem erros sistemáticos de avaliação. No domínio das decisões que afetam diretamente o bolso do indivíduo, e que são feitas com frequência que possibilite correção de erros, parece uma bela de uma hipótese. Mas quando ter ideias equivocadas não afeta o bolso, podem sim surgir erros persistentes de avaliação. Se esses erros estão associados a noções e posicionamentos que geram utilidade ou senso de identidade às pessoas (proteger o produtor nacional; querer passagem de ônibus a preço zero; achar que heterodoxia economica faz algum sentido, etc), mas não geram perdas significativas diretamente ao indivíduo, então por que investir para entender e se convencer de que elas estão erradas? No linguajar técnico, é "ótimo" não fazer isso

O pesquisador quase não mexe nesse vespeiro de vieses de avaliação; mas a vida de um professor de introdução à economia é justamente tentar desmontar crenças erradas sobre o funcionamento da economia, e vieses persistentes.

Até semana que vem 

Cristiano Romero Valor de hoje

Nada a acrescentar, muito bom. Quer fazer parte desse Blog?

terça-feira, 25 de junho de 2013

Political reform

Dilma, hi,
The only relevant political reform is this: scrap proportional representation and go for district voting
this reduces corruption since it makes politicians more accountable

oh, sorry to inform, but democracy is the most striking case of principal-agent problem (did u read MGW chap 13 and 14?)

 it works poorly because we are unable and havent the proper incentives to control our agents (that is u, the politicians); but theory and evidence suggest the problem is a bit attenuated by majority (district) voting...

closed lists is the worse thing to do, it hinders politicians incentives to behave well and increase incentives to please party leaders, like Dirceu and the likes

Dilma, go read persson and tabellini´s 2003 book and related papers first....i am tired and not willing to explain it further right now....we can talk later

good night, sweet dreams

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Tem que identificar a porra do choque, cacete

Todos repetindo sem parar para pensar: " a inflação alta está corroendo a renda do consumidor e tirando poder de compra, vai pegando no consumo, bla, bla"

tá bom, se tem choque adverso de oferta, conta essa historieta aí ... mas o mesmo economista que conta essa historieta diz que a inflação é muito por conta de pressão de demanda. mas aí a inflação cresceu porque a demanda cresceu, o choque identificado é na demanda; não tem porcaria de consumo caindo por conta de inflação; teve um movimento que impulsionou consumo e inflação pra cima.

que merda é essa de cachorro correndo atrás do rabo?

Protesto Útil


Protesto Inútil

I’ve just listened to our presidenta. Overall I think Dilma’s response is being perfect. Reduced the bus ticket price, gave out that flat speech on Thursday, and launched the anti-corruption-better-transport-health-and-education program. She may upgrade to political reform plebiscite and constitution. And later come out with some cross subsidies to square public revenues and expenses.

Contrary to my friends, I believe protests won’t linger for long. They will die out soon, and will be remember as one of the most useless popular movement ever.

Risco regulatório cresce com populismo

Eu via um upside pro Brasil: as concessões de fim de ano na área da infra-estrutura.
Fiz uma revisão bayesiana com o acirramento dos protestos. Governantes temerosos e confusos sempre vão pro populismo, e isso aumenta muito o risco regulatório. Vejam o exemplo da Copel, no Paraná. O Alckmin está ameaçando barrar reajustes de preços controlados...
Quem vai meter bilhões de dólares aqui? Só se o BNDES der ainda mais dinheiro de graça; mas nesse caso, talvez não seja bom que os investimentos ocorram...
Saudades do Sapo Barbudo (quem diria!)

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Mom called me

X's mom: Son, does economic theory explain why the price of a banana is lower in a flea market near 13hours as opposed to 8hs?

X: Yes, mom. It is because banana at 8h is a different commodity than banana at 13hs. Due to selective picking, what remains at 13hs is a worse kind of banana, less valuable. An umbrella in a rainy day costs much more to the passerby also because the change in the “state of nature” renders it a different product when weather is miserable.

X's mom: Oh, I see. So bananas are not all the same and that’s why they are priced different.

X: Precisely.

X's mom: Where did you learn this, son?

X: At Mas-collel, mom

X's mom: Is it a good read?


X: Definetely, and with a lot of intuitive discussions, mom. I will lend you mine.

the relevant question

is this: what is behind the very low inflation rate in US?

is the shale gás phenomenon a significantly important supply shock able to promote growth without inflation for some years in the US (cesg's conjecture)? or is fk correct in arguing inflation is temporarily low only (mark-up shocks to a felipes curva in a dsge model!!), no super-marvelous new steady-state in sight...?

in cesg's scenario, the excessive stress may ebb away in a couple of months; in fk's, it only gets sourer and sourer

Descarrilando...

Dilma, pulamos pra uma dinâmica muito ruim, você percebe isso?
O trem pode descarrilar mesmo, inclusive pra você
Mexe esse bumbum, presidente, coragem, esqueça o que te contaram na Unicamp, aquilo nao existe, nao eh economia
Troca a equipe e vai na TV falar que o fiscal e 4% de primário
Você nao vai conseguir reganhar credibilidade se nao fizer isso, sua equipe e ruim e esta desacreditada
Me escuta, pelo amor de deus, dilma

Cesg


quinta-feira, 20 de junho de 2013

Amarelou, dançou

Prefeito e governador d SP ambos sempre tive em baixa conta, intelectualmente. Mas eles conseguem fazer pior sempre. Agora, amarelões, vocês vão ver o que significa voltar atras de uma decisão correta por medo/populismo. Pra ajustar a desordem econômico- social que se instalou aqui, precisávamos de uma Tatcher, mas a nossa dama infelizmente e de outro tipo.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Teorema


1. Haddad diz hoje de manhã que reduzir tarifa seria populismo

2. Alckmin e Haddad reduzem a tarifa hoje à tarde

Logo, usando a lógica que tem prevalecido ultimamente,

Haddad e Alckmin não são populistas e não são suscetíveis a pressões.


Carta a Dilma R.

Querida Dilma,
A coisa está preta.
Sem mudanças radicais, não há mais como reverter a perda de credibilidade que você permitiu que ocorresse. E o cenário externo, com Ben indo pra casa e China crescendo menos, não vai te ajudar.
Dilma, você está correndo sério risco eleitoral. Não insista em mexidas pequenas, como um pouquinho mais de juro e um pouquinho mais de superávit. Passou o tempo em que isso reverteria o quadro. Agora, presidente, só mudando a equipe mesmo. Bota a culpa na Economist, ou no Antoninho de Botucatu, na imprensa maldita, sei lá, arruma uma desculpa e manda esse teu pessoal embora. Coloca uns ortodoxos sem graça lá, tipo o Economista X, para acertar o rumo. O Joel te falou besteira, te falou que não dá mais tempo  pra mudar de rumo...claro que dá! Os mercados precificam mudanças críveis (mas precisa ser crível) e a sociedade também.

terça-feira, 18 de junho de 2013

The lists and X vacations

The most read post so far in the history of this blog is "10 worst economists EVER"

As demanded by readers, a list containing the "100 worst brazilian economists EVER" is being carefully crafted. It will probably be finished in 2015, when the FED raises rates.

I will be out for a week starting on-the-morrow

I will be on vacations, on US soil. Yes, the rumours are not mere rumours, Mr. Obama sent for me...but I am not sure whether I will accept the job, since he said I should abandon the Blog while chairing the FED.

Keep you posted, dear readers.

Cheers,

X

Inflação subjacente e breakeven

No gráfico uma medida de “inflação sem canetada”, retirando os itens de linha branca, automóveis, gasolina, ônibus, etc. e reponderando (hat tip Genta). Sei que há várias medidas alternativas, com ou sem normalização de nível, e outras chatices. Independentemente, sempre vai dar inflação alta, uns 8% nos últimos 12 meses.
Um raciocínio comum é olhar para esse gráfico é concluir que a inflação vai disparar quando o governo parar de desonerar o IPCA. É como se a “inflação latente” fosse muito maior. É como se houvesse um canal direto da inflação latente para a inflação futura. Não entendo direito o que isso significa.
Acho possível argumentar que o gráfico significa que o hiato do produto é brutalmente positivo, e que isso significa que a inflação irá subir. Eu entendo que o lado fiscal das desonerações tem impacto positivo sobre a inflação, através do canal do hiato. Mas só isso.
O consenso dos economistas diz que a inflação será algo em torno de 5.8% para os próximos dois anos. Enquanto isso, o breakeven do mercado está uns 5.4% para esse período. A diferença é razoavelmente grande, e não leva em conta o tal prêmio de risco (Outro argumento que não entendo direito).

O CHORINHO usa o CAGED, obtém que o mercado de trabalho está fraquejando, que o hiato está bem negativo, e que a inflação vai cair (mesmo antes do juro ter subido).
Saí do castigo, mas vou ficar fora dessa. Continuo procurando oportunidades para perder dinheiro.


Protestos

If I were Dilma I would be worried with the protests. But I also wouldn’t know what to do. Maybe talk to Haddad to cut back the bus ticket price. And then go on TV launching a major investment program in schools, which would never happen. Differently from my colleagues, I can’t see any material impact.

Delfos no Valor (show de horror!)

Hoje ele abusou...nossa senhora.

Vou focar em duas m* que ele disse:

1 - que eh puzzling a pesquisa de opinião mostrar que as pessoas acham que seus filhos estarão melhores que eles e ao mesmo tempo ter tanta gente revoltada com o rumo da politica e da economia no Brasil --- poxa, Delfos, eh obvio que os time spans aqui são muito díspares. O fato do atual governo ser ruim não significa que a renda do meu filho (o pequeno economistinha x) não será daqui a 30 anos maior que a minha...

2 - Desigualdade é culpa do capitalismo financeiro? O que eh capitalismo financeiro, Delfos? Olha, você precisa ler os papers do Ross Levine e parar de papagair besteirol de esquerda. Países com mercado de crédito mais desenvolvido, controlando por uma porrada de variáveis, apresentam taxas de crescimento da renda dos mais pobres maior. Sim, porque quem nasce pobre tem uma porta de saída no crédito; sem crédito ele não tem porta de saída Delfos. Não faz milagre, mas ajuda.

3- Mais importante do que isso, tem um zilhão de papers mostrando a causa da forte desigualdade de renda no Brasil. Acho que voce nao vai gosta de ouvir, mas eu não estou nem aí pra você. A causa é que desde o governo militar, os políticos não priorizaram capital humano. Na sua época, por ex, vocês socaram bomba em investimentos improdutivos e não fizeram nada pra melhorar a educação. A Coréia tomou outro rumo, o oposto. Vai ver lá a desigualdade e o nível da renda, vai Delfos.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

10 Worst brazilian economists EVER

1 - Belluzer, the loser (thinks all natural disasters stem from appreciated currencies)
2 - Pokemon (has a mean heart; persecutes orthodox economists; does not know what omitted variable bias is: once he traced a correlation between openess and unemployment without any control and went on to infer causation....)
3 - Butter (unable to think clearly)
4 - Augustin (has a mean heart; wants to implode the country for no obvious reason...maybe he is an argentinean)
5 - Dilma (thinks what she learnt at Unicamp is economic theory)
6 - Pastore 1 (has good heart, but thinks vacation gratification is tantamount to a tax on firms hiring - it is not, pastore, it is part of wages)
7 - Pastore 2 (very rude, runs a lot of regressions where all variables are endogenous and does not like when you point that out to him)
8 - Gianetti (wrote an entire book to argue that preference's discount rate must equal the inverse of gross interest rate...argues underdevelopment is due to people's impatience!)
9 - Bresser (wrote a paper summing up his own crazy ideas and dared to publish it in his own review --- the most serious case of endogeneity ever)
10 - Vidor (wears that fancy tie)

10 best brazilian economists EVER

1 - Antoninho de Botucatu (knows everything, and is my bro)
2 - FK (taught generations of good economists; he is old now but remains smart)
3 - Joelmir Betting (in memorium)
4 - Amyr Klink (knows what  scarcity means)
5 - William Waack (knows more economic theory than belluzer; speaks german)
6 - Genta (sambista; has a good heart)
7 - Sebastião Salgado (made a good choice long ago, and Economics is all about choice theory)
8 - Bob fields (knew latin; read Freud and Foucault; learned english attending cine sessions with his back to the screen; had wit)
9 - Cesg (has published nice and important books -- all sold poorly)
10 - Claudia (knows in advance what is going to happen in the realm of economic policy)

Conluio entre escolas de economia

Todo ano, as escolas de pós-graduação de Economia recrutam alunos para seus cursos de mestrado, após concurso rigoroso com provas de macro, micro, estatistica, matematica e brasileira. Quando saem as notas, os centros começam a ligar para os candidatos, convidando-os para uma visita. Cada escola tenta convencer os bons alunos que seu centro é a melhor escolha, e competem tentando sinalizar qualidade superior em um mundo lotado de assimetrias informacionais e incertezas.

Nos EUA, uma outra dimensão de concorrência, simulatanea à qualidade, é a financeira. Harvard e MIT, por exemplo, disputam alunos oferecendo bolsas maiores para os mais promissores. Às vezes, 3.000 dólares a mais num ano decidem a parada.

Aqui no Brasil, essa dimensão de concorrência é vista com maus olhos. Os valores das bolsas doadas são fixos e oficialmente não se pode concorrer nessa margem. Ou seja, há uma espécie de conluio entre os centros para que eles, em conjunto, possam desembolsar menos. Quem perde com isso, claro, são os alunos. Ouvi de um colega economista que deixar essa dimensão livre geraria competição predatória entre as escolas. Que raios significa isso?? Outros me disseram que "em equilíbrio, todos os centros gastariam mais e assim a alocação alunos/centro não se alteraria. Portanto, como chegaríamos ao mesmo ponto final, não seria eficiente concorrer nessa margem". Por Deus ! Ainda que esse fosse o equilíbrio final, proibir competição na margem financeira segue sendo a mesma coisa: uma transferência de renda dos alunos para as escolas.

Um colega mais perspicaz me disse o seguinte: "por que então a gente não passa uma lei impondo teto para salário de secretárias?....é a mesma coisa".

De fato, é a mesma coisa.